Botonistas de Pernambuco e Fortaleza conquistam a Copa Norte e Nordeste realizado na Arena da Amazônia

01 MAI 2017
01 de Maio de 2017
Após dois dias de competições, e mais de 20 horas de disputas, a 2ª edição da Copa Norte e Nordeste de Futebol de Mesa, realizada em Manaus, conheceu seus vencedores na noite deste domingo, dia 30. Os botonistas de Pernambuco e Fortaleza foram os grandes campeões do evento que ocorreu pela primeira vez num estádio construído para a Copa do Mundo, a Arena da Amazônia. Os atletas, agora, se juntam ao seleto grupo de capitães que conseguiram erguer uma taça dentro de um dos estádios mais bonitos do País. A competição contou com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).
 
Com 60 jogadores dos estados de Alagoas, Piauí, Pernambuco, Roraima, Ceará e do Amazonas, os botonistas Manoel Moura, 57, e Adones Castro, 31, faturaram a primeira posição nas categorias Master e Adulto da primeira divisão, respectivamente. Eles passaram pela classificatória no sábado, 29, que durou de 8h até 16h, e no domingo foram para as cabeças, passando por nomes já consagrados o esporte.
 
“Foi uma competição muito boa, em um local super favorável para praticar o futebol de mesa. Fiz 20 jogos e ganhei 17. Perdi duas e empatei uma. Foi uma campanha muito boa. No sábado, sai com 100% de aproveitamento e domingo continuei e cheguei ao título”, contou o agora bicampeão master, Manoel Moura, 57, jogador do Quixada de Fortaleza-CE.
 
O caminho semelhante teve que ser percorrido pelo pernambucano Adones Castro, 31. O botonista do clube Recife Arena venceu a competição na categoria Adulto da primeira divisão. Emocionado, ele ainda elogiou os adversários. “Foi bem difícil e venci por um ponto de diferença. O nível está muito alto e o pessoal do Amazonas que está começando agora está de parabéns. Espero que possamos voltar mais vezes”, comemorou o atleta, feliz por conquistar o troféu na Arena da Amazônia.
 
“Conquistar esse título na Arena é muito importante. Aqui é um lugar místico, foi palco de grandes jogos da Copa do Mundo e deu para levar o futebol de mesa para o topo. Estou bem feliz e tenho certeza que minha família e amigos ficarão orgulhosos de mim”, comentou o jogador.

Rivalidade
 
O clássico de rivalidade do futebol nordestino também veio parar na Arena da Amazônia. Clubes como Sport Recife e Fortaleza foram representados pelos botonistas Alexandre Raposo, 50, e Rafael Moreira, 34.

Pelo lado Rubro-Negro, um pente de cabelo deu lugar a palheta. É assim que o Alexandre, conhecido como Pentinho, tem ganhado títulos e reconhecimento. O costume inusitado foi herdado do pai que trocou a palheta por um simples pente de cabelo.
“Jogo desde pequeno com o pente. Aprendi com o meu pai, Marcílio, essa prática. Hoje ele está com 77 anos e não aguenta mais ficar horas em pé. Eu acho melhor jogar com o pente do que com a palheta, consigo fazer jogadas que com a palheta não consigo fazer. Às vezes um corte que a palheta dá um pente faz bem melhor. É por isso que jogo com o pente e vou continuar jogando”, contou o campeão da categoria Máster segunda divisão.  
 
Terceiro lugar no Adulto, o atleta do Fortaleza, Rafael Moreira, saiu da Arena satisfeito. “Foram jogos muito bons, mas hoje sai com a terceira colocação. É muito bom termos jogos em das arenas mais bonitas. Está de parabéns todos que realizaram a competição”, contou. 

Para o diretor de comunicação da AMFM, Winnetou Almeida, o evento não poderia ter sido melhor e serviu como cartão postal para muitos botonistas. Além disso, ele afirmou que após a repercussão da competição na terrinha baré, muito provavelmente a Capital estará habilitada para ser sede do Brasileiro.
 
“Foi uma festa receber 60 jogadores aqui no Amazonas. Isso é um sonho realizado. Pela primeira vez, em nível nacional, uma Arena da Copa do Mundo está sendo palco de jogos do futebol de mesa. Isso é um legado que não tem tamanho. Todos os atletas do Brasil estão comentando, elogiando, e o futebol de mesa do Amazonas está dando um grande passo. Agradeço a todos que acreditam na AMFM (Associação Manauara de Futebol de Mesa) e a Sejel que permitiu que esse sonho pudesse ser realizado”, afirmou.


Matéria: SEJEL/Assessoria de Comunicação
Fotos: Antônio Lima/SEJEL
Voltar

© 2014-2016 Rádio Já - Emissora Panamazônica. Todos os direitos reservados